Material para trabalhar o Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha

Material Gratuito – Concurso Prefeitura Municipal de Sobral
24 de julho de 2018
Lei Maria da Penha – 12 anos de luta e resistência!
7 de agosto de 2018

Material para trabalhar o Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha

25 de julho, Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha.

O dia 25 de julho é marcado pelo Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha. A data surgiu através do primeiro Encontro que foi organizado por mulheres negras, latinas e caribenhas em 1992, em Santo Domingos, localizado na República Dominicana, Caribe.  O encontro trouxe como foco central a discussão sobre o machismo, o racismo e quais estratégias poderiam ser utilizadas para combatê-los.  Ainda em 1992 a data foi reconhecida como o Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha pela Organização das Nações Unidas – ONU.

Segundo o IBGE a população negra é correspondente a 54% dos Brasileiros, ou seja, mais da metade da população Brasileira. Essa informação  é bastante relevante, principalmente quando o IBGE também informa em outra pesquisa  que a população negra é a que mais sofre com a situação da pobreza, nesta situação,  3 (três) em cada 4 (quatro) pessoas são negras.

Disponibilizamos a revista Retratos – Revista do IBGE do mês de maio de 2018, que coloca como capa o Tema: Somos todos Iguais? O que dizem as estatísticas. Para acessar, clique aqui: Retratos a Revista do IBGE

Violência:

Em relação às mulheres negras, a situação da violência é alarmante!  Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), dos 25 Países que contém os maiores índices de FEMINICÍCIDO do mundo, 15 deles, ficam localizados na América latina e no Caribe. O País onde existe o maior índice de feminicídios da América Latina é o Brasil!

Para acessar a lei do feminicídio: CLIQUE AQUI

No contexto de violência as mulheres, as mulheres  negras são as principais vítimas de violência sexual, violência obstétrica, além de ser às principais vítimas de homicídios também.

De acordo com o Mapa da Violência 2016, os homicídios de mulheres negras aumentaram 54% em dez anos no Brasil, passando de 1.864, em 2003, para 2.875, em 2013 (enquanto os casos com vítimas brancas caíram 10%). As mulheres negras são as principais vítimas da violência policial no Brasil também. Segundo a Agência Patrícia Galvão, através de dados que foram apurados por meio do Fórum Brasileiro de Segurança Pública nos anos de 2005 a 2015, em relação aos  números de mortes de mulheres em meio à Intervenções legais ou operações de guerra, 52% delas eram mulheres negras!

Segue abaixo links de notícias com alguns casos de violência que já ocorreram no Brasil com mulheres negras:

Marielle Franco

Claudia Silva Ferreira

Luana Barbosa

Helem Moreira

Desigualdade:

Segundo a pesquisa realizada pelo IPEA e publicada em 2016, as mulheres brancas recebem 70% a mais do que as mulheres negras no Brasil. Segundo a pesquisa “Estatísticas de gênero”, divulgada em março de 2018  pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o percentual de mulheres brancas com ensino superior completo é 23,5%, ou seja, 2,3 vezes maior do que o de mulheres pretas ou pardas que é 10,4%. Outro fator de desigualdade é em relação ao atendimento as consultas de pré-natal durante a gestação, pois 98,6% das mulheres brancas foram atendidas em no mínimo uma consulta com profissional de saúde especializado na sua última gravidez. A porcentagem é outra quando trata-se de mulheres negras ou pardas 96,6%. Os dados são de uma pesquisa realizada pelo IBGE em relação a saúde reprodutiva das mulheres.

Observa-se acima a discrepância entre os dados quando é realizado o recorte de raça e gênero no Brasil. Isso nos mostra o reflexo do Racismo, das raízes do patriarcado e o quanto se manifesta todos os dias nas vidas das mulheres negras e de suas famílias!

 

NO BRASIL:  A  Ex Presidenta Dilma Rousseff transformou a data do dia 25 de Julho em comemoração Nacional desde 2014, comemorando-se em 25 de julho o dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra!  Homenageando a líder Quilombola Tereza Banguela, que na década de  XVIII ficou conhecida como Rainha Tereza!  Tornou-se a rainha do Quilombo do Quariterê, localizado em Mato Grosso. Tereza foi uma grande Quilombola que fundou um parlamento local, organizando colheitas e plantios de alimentos. Dentre diversas atividades, também chefiava a fabricação de tecidos! Uma grande mulher!

Para acessar a história completa sobre Tereza Banguela: CLIQUE AQUI

 

O dia 25 de Julho não tem como finalidade apenas comemorar, e sim fortalecer as organizações que são voltadas às mulheres negras, além de fortalecer os seus laços enquanto mulheres, objetivando maior visibilidade na luta com fim em pressionar o poder público por melhores condições. No dia 25 de Julho no Brasil, no Caribe e na América Latina em diversas cidades são organizados Atos com finalidade de marcar esta data. Afinal,  mulheres negras, existem e resistem todos os dias.

 

Disponibilizamos abaixo uma lista de filmes e séries protagonizados por mulheres negras. Além de Autoras e Cantoras Negras. REPRESENTATIVIDADE IMPORTA!!!

Filmes:

Séries: 

 

Autoras:

 

Cantoras:

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *