Protocolo de Atendimento à Crianças e Adolescentes Vitimas de Violência

Protegido: Aditivo Vade Mecum
10 de outubro de 2000
Edital da Seleção Seas! 48 vagas – Assistente Social
27 de Abril de 2017

Protocolo de Atendimento à Crianças e Adolescentes Vitimas de Violência

O ” Protocolo de Atendimento à crianças e adolescentes vitimas de violência do municipio de Foz do iguaçu” publicado pelo Ministerio Público do Estado do Paraná é um importante instrumento de ação para quem atua junto à crianças e adolescentes vitimas de violência.

O documento inicia discutindo o conceito normativo de Criança e Adolescente, bem como os tipos, formas e conceitos de violência, tais como, negligência, violência fisica, psicologica, sexual, escolar, exploração sexual comercial.

Prossegue apresentando um conjunto de fluxogramas de atendimento a partir de formas especificas de violência a que a criança ou adolescente são submetidos.

FLUXOGRAMA 01: atendimento à criança e ao adolescente vítima de violência sexual até 72 horas em foz do iguaçu;

FLUXOGRAMA 02: atendimento à criança e ao adolescente vítima de violência sexual após 72 horas em foz do iguaçu;

FLUXOGRAMA 03: Atendimento à criança e ao adolescente vítima de exploração sexual mo Município De Foz Do Iguaçu;

FLUXOGRAMA 04: atendimento à criança e ao adolescente vítima de outros tipos de violência, com necessidade hospitalar em foz do iguaçu;

FLUXOGRAMA 05: atendimento à criança e ao adolescente vítima de outros tipos de violência, sem necessidade hospitalar em foz do iguaçu;

O fluxograma apresenta passo a passo que caminho percorrer… que instituições acionar (o momento para acionar o Conselho Tutelar, o Ministério Publico, o CREAS, o hospital…)

E finaliza descrevendo as entidades que devem ser acionadas para garantir o pleno atendimento dessas crianças e adolescentes.

Apesar de tratar especificamente dos caminhos a serem trilhados no municipio de Foz do Iguaçu, o livro serve como base para fundamentar o trabalho de qualquer assistente social  que trabalhe em instituições que compõem a rede de garantia de direitos da criança e do adolescente, já que, precisamos compreender o papel das instituiçoes/políticas, bem como compreender o caminho a ser percorrido para a garantia de um direito e assim, não só poder executá-lo (a depender da instituição que atuo), como também, orientar os usuários que nos buscar para atender essas demandas.

Que tal fazer o mesmo percurso proposto pelo livro inserindo os dados e nome de instituições especificas do seu município?

Baixe a publicação completa CLICANDO AQUI

Essa Postagem faz parte do Projeto Gratuito da Pótere Chamado “Potere Conhecimento”, em que semanalmente socializamos materiais de interesse do serviço social no nosso grupo do FACEBOOK (clica aqui pra entrar).

E se vc quer receber essa s e outras noticias direto no seu celular, basta solicitar seu cadastro via whats app (85)999522704

E se você quer aprender um pouco mais sobre os Direitos da Criança e do Adolescente, sabia que a Pótere está com um curso presencial intitulado ECA do Zero, que pretende discutir e destrinchar passo a passo cada conteúdo do Estatuto da Criança e do Adolescente? Se interessou? Então acessa o curso e se inscreve… aulas iniciando nesse sábado!!! Para acessar o curso é só clicar aqui: CURSO ECA DO ZERO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *